Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019

Buscar  



81 9 9823-8994

Peça sua Música

  • ramiro caetano
    Cidade: suzano sao paulo
    Música: divan com roberto carlo
  • Mayos
    Cidade: Diadema
    Música: Me Deixa te Amar - Carllos Passim
  • SILVIA ROSÂNGELA DE ALMÊDA OLIVEIRA
    Cidade: Recife
    Música: Arautos do rei-tenho paz
  • Paulo Jacelo da Silva Melo
    Cidade: São José dos campos-sp
    Música: O amor é tudo
  • Marcio santos
    Cidade: Belém
    Música: Wesley Moraes - No controle de Deus
  • Marcio santos
    Cidade: Belém
    Música: Belém
Brasil

Publicada em 08/11/19 às 08:55h - 5 visualizações
Pais da menina Beatriz fazem vaquinha online para investigação
Objetivo é captar R$ 75 mil em doações para ajudar na elucidação do caso

Rádio Cultura dos Palmares


 (Foto: Rádio Cultura dos Palmares)
Após quase quatro anos sem respostas sobre os responsáveis pela morte da menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, a família da garota lançou uma vaquinha para arrecadar ajuda financeira com o intuito de custear uma investigação paralela sobre o caso. O objetivo é captar R$ 75 mil em doações, mas até a tarde desta quinta-feira (7) foram arrecadados cerca de 8% desse valor. A criança foi encontrada morta com 42 facadas em um quarto de depósito da escola onde ela estudava, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

A mãe da menina, Lúcia Mota, postou um vídeo nas redes sociais pedindo a colaboração de todos. "Infelizmente já são quase quatro anos e até o momento nós ainda não tivemos nenhuma prisão dos assassinos de Beatriz. Portanto, estamos fazendo uma investigação paralela. Essa quantia que colocamos como objetivo para arrecadar na vaquinha é para que a gente possa contratar profissionais especializados na área de segurança, na área de informática, para os custos das viagens desses profissionais, e outras despesas que a gente vem tendo", disse.



Em setembro deste ano, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) revogou o pedido de prisão do suspeito de ter apagado as imagens do circuito interno do colégio onde aconteceu o crime. Desde dezembro de 2018, quando o pedido de prisão foi feito, Alisson Henrique Carvalho Cunha era considerado foragido. Algumas semanas depois os pais da menina realizaram um ato de repúdio em frente à Câmara de Vereadores de Petrolina.

Em nota, a Polícia Civil disse que "reafirma a seriedade e a dedicação com que está sendo conduzida a investigação do caso Beatriz, que corre em segredo de justiça”. Segundo a corporação, não podem ser fornecidas informações do andamento dos trabalhos. "Por fim, a PCPE reitera a confiança de elucidar esse bárbaro assassinato e apresentar quem comeu esse crime à Justiça, finaliza a nota". Dedicando-se exclusivamente ao caso, a delegada Polyanna Neri preside o inquérito do caso. Também foi instituída uma Força Tarefa com três delegados e suas equipes.



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:



Parceiros

Copyright (c) 2019 - Rádio Cultura dos Palmares - Todos os direitos reservados